Sustentabilidade - 30 de setembro, 2019

Sustentabilidade e tecnologia: a parceria que garante o futuro

  •  
Tecnologia e sustentabilidade

Engana-se quem pensa que tecnologia e sustentabilidade são conceitos que existem separadamente e que não podem ser aliados. Para garantir que ainda exista um planeta onde poderemos aproveitar todos os avanços tecnológicos que estão sendo criados, é essencial que esse avanço seja feito com a sustentabilidade como uma de suas prioridades.

As questões relacionadas à sustentabilidade na tecnologia surgem logo no princípio: atualmente, a fabricação de equipamentos eletrônicos ainda é pouco sustentável, já que emite gases e utiliza uma grande quantidade de recursos naturais, como o cobre, por exemplo. Para reduzir esses efeitos, os fabricantes precisam se conscientizar e revisar seus processos atentamente.

Outro grande problema quando falamos de tecnologia e sustentabilidade está do outro lado do espectro: no descarte. Por serem feitos de vários materiais diferentes, o descarte de equipamentos eletrônicos não é tão simples quanto o descarte de uma garrafa pet, por exemplo. Para realizar a reciclagem de um computador doméstico simples, é necessário separar todas as suas partes em categorias, como plástico, metal e vidro, e só então reciclar esses materiais individualmente. Por isso, esse processo se torna mais caro e trabalhoso, e não compensa para as empresas – nem os fabricantes e nem as empresas de reciclagem. 

Segundo dados da Organização das Nações Unidas, estima-se que cada habitante do planeta produza, em média, cerca de 6 kg de lixo eletrônico por ano. Ainda na mesma pesquisa, as previsões para o ano de 2050 são assustadoras: serão produzidos 120 milhões de toneladas de lixo eletrônico até então, se as tendências atuais permanecerem as mesmas.

Atualmente, menos de 20% do lixo eletrônico é reciclado, e isso apresenta um grande risco não só para a natureza mas para os seres humanos: alguns eletrônicos contêm componentes que podem ser cancerígenos, como chumbo e mercúrio. Esses materiais, além dos efeitos do contato direto, também arriscam a contaminação de solo e lençóis freáticos, prejudicando sistemas de abastecimento hídrico e de fornecimento de alimentos. 

Soluções para esse problema não são fáceis, nem simples, nem baratas. Exigem esforço e revisão de todas as etapas de um produto, desde sua criação, passando pela fabricação, até o descarte. Mas, o investimento em materiais mais sustentáveis e processos mais benéficos à natureza vale a pena: o futuro do planeta – e da humanidade como um todo – depende desse esforço.


Fontes:

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI300490-17770,00-GIGANTES+DE+TECNOLOGIA+TAMBEM+INVESTEM+EM+SUSTENTABILIDADE.html
https://nacoesunidas.org/mundo-produzira-120-milhoes-de-toneladas-de-lixo-eletronico-por-ano-ate-2050-diz-relatorio/

Tecnologia e sustentabilidade

Twitter
 

Enviar por e-mail