Tendências - 22 de agosto, 2019

Reconhecimento facial para controle de acesso e segurança

  •  
Reconhecimento facial na segurança

Reconhecimento facial para controle de acesso e segurança

Nos dias atuais, é comum que encontremos empresas que usam o reconhecimento digital, sendo ele por impressão digital (como é feito nos bancos), reconhecimento facial (em empresas e smartphones), ou assinatura, para controle de seus clientes e funcionários. Esse controle é feito a partir das características únicas dos corpos humanos para liberação de acessos.

Para que uma pessoa seja reconhecida, é necessário que seja realizado um pré-cadastro com uma imagem da pessoa a ser identificada. Através dessa imagem, algoritmos de medição traçam padrões da pessoa cadastrada e armazenam os resultados. As características das pessoas podem mudar com o tempo e, caso isso aconteça, os equipamentos possuem um coeficiente de tolerância que comparam o resultado ao que já está gravado. Para uma validação rápida e segura, níveis de assertividade são definidos, mas ainda assim, são sistemas passíveis a falhas: como são os casos  dos “falsos positivos”, que ocorrem quando a tecnologia erra detectando uma pessoa como se fosse outra e dos “falso negativos”, quando uma pessoa que é cadastrada acaba sendo bloqueada.

Nos últimos anos, o reconhecimento facial evoluiu e aumentou ainda mais através do uso em smartphones. A imagem do rosto da pessoa é mapeada por essa tecnologia, gravando distância em pontos específicos, com base nos olhos, boca e nariz. O reconhecimento não era considerado confiável, pois tinha um alto nível de falsos positivos que poderiam, por exemplo, usar uma fotografia para enganar o software. Com a evolução, tornou-se possível utilizar a textura de pele, dilatação de pupila e outras características para aumentar a segurança da tecnologia e torná-la mais confiável, como é com a impressão digital.

O reconhecimento facial, além de possibilitar a validação para o acesso ser liberado, também pode ser usado para localizar pessoas através de câmeras de segurança, em locais com grande fluxo de pessoas e possibilita o compartilhamento de informações que ajudam a detectar possíveis criminosos em meio à multidão. Essa tecnologia, se comparada a outras, tem a vantagem de ser mais confiável que o reconhecimento por voz, além de ser menos invasiva.

Essa já é uma realidade e seu uso será mais significativo ao longo dos anos. Porém, é sempre importante para aumentar a segurança, investir em outros meios de controle de acesso e também vídeo analítico, para total controle da segurança da empresa.

Fonte:
Senior Blog

Reconhecimento facial na segurança

Twitter
 

Enviar por e-mail