Inovação - 14 de outubro, 2019

Inteligência artificial: uma novidade nem tão nova assim

  •  
Inteligência artificial é uma novidade antiga

Na ciência e na tecnologia, nem sempre as coisas acontecem em uma perfeita ordem cronológica. Descobertas e avanços passam por ciclos de tempos indeterminados e sem um padrão específico, fazendo com que alguns processos demorem décadas para serem colocados em uso, enquanto outros são desenvolvidos em poucos anos.

Uma das maiores provas dessa linha do tempo irregular é a inteligência artificial.

Seus conceitos fundamentais, como redes neurais e aprendizagem de máquina já foram estabelecidos há décadas, mesmo antes do uso de computadores ser popularizado, mas por outro lado, ainda estamos aprendendo como, quando e onde podemos utilizar a inteligência artificial, e grandes descobertas de seus usos, funções e potenciais continuam a ser feitas todos os dias.

Há quase 80 anos, em 1942, foi publicada a história “Runaround”, escrita por Isaac Asimov. Ela conta a história do robô Speedy, e marca a apresentação das Três Leis da Robótica – que ultrapassaram o mundo da ficção e influenciaram até mesmo o campo da ética na inteligência artificial. E, mesmo depois de quase 80 anos desde que essa história foi publicada, ainda não se sabe definir se é possível aplicar essas leis a todos os sistemas de inteligência artificial que estamos desenvolvendo hoje. Ou seja, apesar da enorme quantidade de progresso que foi feita nas últimas 8 décadas em relação à inteligência artificial, ainda existem temas abertos à debate e sem um consenso geral.

Além disso, é preciso levar em conta os dois “invernos” da inteligência artificial. No campo da história da ciência, “invernos” são longos períodos onde pouco ou nenhum avanço é feito no estudo ou desenvolvimento de certa área. O campo da inteligência artificial teve dois, um logo após o outro, nas décadas de 70 e 80 – sendo que esse último, considera-se que durou até meados dos anos 2000.

Com tantos avanços impressionantes nos últimos anos, é até um pouco difícil acreditar que o conceito de inteligência artificial é tão antigo. O fato de que mesmo depois de tanto tempo ainda estamos no que é considerado o início da exploração de seus usos, é uma grande prova de seu imenso potencial, e levanta uma intrigante questão: daqui a mais algumas décadas, onde será que essa tecnologia estará? Fica a reflexão.

Fonte:
https://www.fastcompany.com/90404017/artificial-intelligence-is-decades-old-and-just-getting-started

Inteligência artificial é uma novidade antiga

Twitter
 

Enviar por e-mail