Sustentabilidade - 22 de agosto, 2019

Como a tecnologia impulsiona a agenda sustentável

  •  
Tecnologia na agenda sustentável

Quando se fala em sustentabilidade e em desenvolvimento sustentável, além das medidas de reparação dos danos já feitos, também é necessário focar na mudança de modelo de negócios e na necessidade de buscar soluções inovadoras para que a sociedade receba os impactos positivos. Embora ainda seja pouco usada no Brasil, a tecnologia pode ser de grande ajuda na hora de buscar soluções para diversos problemas sociais, no entanto, as agendas de sustentabilidade nas empresas têm que ser fortalecidas para serem mais fortes e competitivas em um âmbito global. 

Uma dessas soluções vem na forma da Agenda 2030, um plano de ação da Organização das Nações Unidas (ONU) em busca do desenvolvimento mais sustentável do planeta. Com 193 países signatários, a Agenda tem 17 temas definidos, além de 169 medidas com foco no desenvolvimento sustentável, reconhecendo também a necessidade da participação de governos, sociedade civil e setor privados, além das pequenas e médias empresas (PMEs). Novos desafios aparecerão através da era digital, porém terão contribuições no avanço da Agenda 2030, impactando a área da saúde, agricultura, moradia e infraestrutura.

Em todo o país, alguns projetos já estão em desenvolvimento, com a sustentabilidade como foco principal. Exemplos incluem: um aplicativo que conecta produtos baratos e de qualidade, que estejam prestes a vencer, a clientes que procuram economizar; uma plataforma de médicos que, ao se cadastrarem, poderão oferecer uma hora da sua semana ao sistema público, prestando atendimento voluntário e ajudando o SUS a se manter ativo e com qualidade; um projeto que propõe construir hortas orgânicas em espaços corporativos, para incentivar o consumo de produtos saudáveis e orgânicos, além de criar a chamada “replicação social”, onde a cada horta vendida, outra será doada a um espaço social, que o próprio cliente pode escolher; entre outros.

No âmbito da sociedade, um dos grandes vetores de mudança será a implementação da economia digital. Com ela, a maneira como indivíduos, comunidades e organizações se relacionam e consomem serão transformados. Será uma transformação estrutural necessária para o êxito da Agenda 2030, já que o uso dos meios digitais dão uma perspectiva de grandes oportunidades, principalmente se consideradas as PMEs e os novos negócios.

A economia digital pode trazer benefícios práticos, tendo melhor eficiência na alocação de capitais, facilitando o acesso às informações e conhecimento, tornando esses processos ainda mais rápidos e eficientes. Conforme avançam, novas tecnologias permitirão ainda mais inovações, dinamismos, modelos de negócios e atividades, que terão cada vez mais o poder de transformar economias e sociedades.

Tecnologia na agenda sustentável

Twitter
 

Enviar por e-mail